quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

MEDO DO MUNDIAL NO BRASIL

Por Gilson Barbosa

Um amigo me enviou um arquivo contendo uma matéria muito impactante e preocupante sobre a Copa do Mundo no Brasil. A matéria foi capa de reportagem da conceituada revista France Football e contém na capa a frase “Medo do Mundial no Brasil”. Eu não li a reportagem na revista, mas os especialistas no assunto comentam que ela cita os atrasos na entrega dos estádios e a insatisfação da população com a realização da Copa e muitas outras denuncias.

Enfim, a Copa já é considerada pelos estrangeiros uma “vergonha internacional”. Desculpe a expressão leitor, mas os políticos brasileiros pensam que somos um bando de trogloditas idiotas que afogam seus problemas sociais assistindo uma partida de futebol. Não critico este ou aquele partido no poder. Todos estão interessados apenas em si próprios. Enquanto o cidadão brasileiro enfrenta tanto desafios sociais no seu dia a dia, os figurões da política brasileira se comportam como se fossem habitantes dos países de primeiro mundo.

Os passos da população e dos políticos são totalmente desconexos. Nossos políticos não andam de ônibus, trem ou metrô, portanto estão livres da superlotação, enquanto isso a maioria da população é sufocada nos poucos espaços que sobram no transporte público; não se preocupam se há vagas, nem com matrículas de seus filhos, em escolas públicas (como milhões de brasileiros), enquanto isso há prefeituras que se eximem de construir mais escolas e preferem a prática eleitoreira de pagar mensalidades a algumas crianças em escolas particulares; não usam o Sistema Único de Saúde, enquanto isso a população sofre nos corredores de hospitais e penam para conseguir agendar uma consulta. Bem, não vou continuar falando, pois o negócio é feio!

Nosso país precisa melhorar e MUITO. Nossos governantes possuem mania de grandeza. Na política (seria só na política mesmo???) predomina a ideia de que mordomia e poder caminham juntos. Só para exemplificar que essa ideia não é coerente eis alguns exemplos: na Inglaterra o primeiro ministro David Cameron vai trabalhar de metrô, o papa Francisco tem por habito carregar sua própria maleta, na festa de entronização do príncipe herdeiro da Holanda foi encaminhada uma mensagem as autoridades que não levassem nenhum tipo de presente, o presidente uruguaio abriu mão de morar no palácio presidencial para viver em seu pequeno sítio nos arredores de Montevidéu. Duvido que nossos políticos estejam dispostos a realizar esses atos.

Ainda que seja difícil (pois a malandragem parece estar no gene da política brasileira) uma das soluções contemplaria trocar os políticos a cada eleição. A questão é que não somente o ParTido no poder, mas também os demais, estão cada vez mais interessado na política populista e eleitoreira. E os cidadãos, por sua vez, se entregam aos cuidados do governo e ao sinal de qualquer mudança preferem manter os governantes que os manterão financeiramente do que uma administração séria. Será que cabe aqui o ditado: “cada povo tem o governo que merece?”.

Da minha parte continuarei a valorizar meu voto, combatendo os desmandos políticos e as injustiças sociais, acompanhando atentamente os passos do governo, seja na esfera municipal, estadual ou federal. E você, o que vai fazer?
No amor de Cristo,

Um comentário:

  1. Muito Bom, ainda bem que sempre existirá pessoas que não se deixam enganar neste País.

    ResponderExcluir