domingo, 9 de fevereiro de 2014

A POLÊMICA DO BEIJO GAY NA TELEVISÃO

Por Gilson Barbosa

As emissoras de televisão estão preocupadas com dois fatores apenas: audiência e lucros dos seus patrocinadores. Olhando por essa perspectiva é fácil identificarmos que elas não estão preocupadas com a grade de suas programações. Por isso, a classificação indicativa de programas de TV, de acordo com a faixa etária do público que ele pode atingir, foi uma das maneiras encontradas pelo governo para que as crianças não sejam submetidas a todo o tipo de imagens, tais como, nudez, sexo, drogas e violência.

No entanto, os critérios de avaliação não são tão fáceis de serem praticados e avaliados. Com certeza a comunidade homossexual sentirá ofendida se dissermos que a cena do beijo gay não deveria ser mostrada na televisão, tendo em vista a influencia (negativa?) que isso causaria as crianças. Eles não estão nem um pouco preocupado com as crianças, pois, segundo o Relatório Kinsey de 1948 “As crianças são sexuais e podem ter orgasmos a partir do nascimento. Elas não sofrem nenhum dano quando têm relações sexuais com indivíduos da família e com adultos…”. É uma afirmação um tanto comprometedora, não acham?

A ascensão da comunidade homossexual não tem mais "freio". O mundo vai de mal a pior em todas as áreas. Em vez dos evangélicos criticarem a emissora por causa do beijo, deveriam não dar ibope a ela. Há um objeto chamado controle remoto e você pode escolher que emissora ou programa irá assistir. Os autores sabem que a maioria dos evangélicos assiste e gosta de novela. Eles identificaram que há muita hipocrisia no meio evangélico. Crentes que criticaram o beijo gay assistiram os capítulos anteriores onde houve cenas de adultérios, assassinatos, imoralidade, e não demonstram nenhum repúdio a isso. Mas, quando a cena do beijo foi ao ar se escandalizaram. Há muitos evangélicos moralistas, mas não espirituais.

Não estou a favor da homossexualidade nem contra os homossexuais. Há postagens neste blog que demonstram qual minha postura sobre o tema. Mas, eles também possuem a imagem e semelhança divina e não devemos desumanizá-los e nem desrespeitar sua dignidade. É bom que os evangélicos aprendam a conviver com esta realidade. Isso não significa aprovar sua conduta. Assim também os homossexuais devem respeitar a opinião religiosa.

O papel da igreja na sociedade é combater todo o tipo de males sociais e não apenas a homossexualidade. É amar com o amor de Cristo e falar-lhes do evangelho que salva os pecadores.

Quanto à grade das emissoras de televisão e a razão de sua existência na sociedade, não espere algo agradável. Faça bom uso da sua liberdade e mude de canal, se sentir-se ofendido em algum sentido. Ouvi um boato que na novela Em Família também haverá beijo gay, e agora é a vez das mulheres. A referida emissora se esforça, e muito, para que aceitemos como normal a prática homossexual.   

Nós não vamos parar de pregar a verdade das Escrituras Sagradas e ela condena a homossexualidade – gostem ou não. É bom que cada grupo se respeite mutuamente. A Bíblia afirma que um abismo chama outro abismo, portanto, não espere que a comunidade homossexual deixe de reivindicar “seus direitos”. Casamento gay, adoção de crianças pelos homossexuais, aborto, descriminalização das drogas, todas essas coisas é questão de tempo. É o laicismo do Estado.

Que a igreja de Cristo esteja sempre preparada para o que vier.


No amor de Cristo,

4 comentários:

  1. Gilson o artigo é muito coerente e esclarecedor. Foi muito proveitoso pra mim.

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz!

    Obrigado por acessar o blog. Que o Senhor continue concedendo cada vez mais sua bondosa graça. No amor de Cristo.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom Pb parabéns pela sua posição!

    ResponderExcluir
  4. A verdade é que todas as pessoas têm direito de escolha. Contudo, suas escolhas não devem serem impostas, principalmente quando tratam de escolhas que viola princípios. E, o conceito milenar, é o beijo e a relação sexual entre homem e uma mulher, e não entre pessoas do mesmo sexo. Portanto, não se trata de preconceito, já que tanto o beijo e a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo é pós ao conceito de família, de casal. Sou um pecador cristão, e tenho a Palavra de Deus como regra de fé e doutrina. Logo, solicito que você remova essa foto. E, quanto às escolhas que as pessoas fazem, elas devem arcar como o ônus ou bônus, ou seja, vaia ou aplauso. E, eu escolho a vaia em relação a foto e o fato. Escolho a vaia em relação ao beijo e a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo. Favor não ter preconceito ao conceito milenar do beijo e da relação sexual entre homem e mulher, do casal composto de um homem e uma mulher. Quando disse que suas escolhas não devem ser impostas, principalmente quando tratam de escolhas que viola princípios, é porque o princípio no caso é a formação de um casal composto de pessoas de sexo oposto. Uma família só é formada originalmente por um homem e uma mulher. Mas como já disse, qualquer pessoa tem o direito de não aceitar, e se ajuntar com uma pessoa do mesmo sexo, mas não tem o direito de recriminar ou ter preconceito de pessoas que primam pelo principio, pelo conceito original e milenar de o beijo e a relação sexual entre homem e uma mulher.

    E, no endereço http://www.paulinas.org.br/radio/?system=news&action=read&id=4591, nos é informado que existem entre católicos ( 164.780.000 ou 123.000.000) e protestantes (42.000.000) mais de 160.000.000 de pessoas que declaram crer em Deus ou crentes em Deus. Contudo, me parece que a grande maioria são crentes semelhante ao diabo(João 8:44-Tiago, 2: 19 ) e não semelhante a Cristo(João 7:38,39). Digo isso pelo o ibope que as novelas e o BBBs tem.
    Já pensaram se nós que professamos filhos de Deus independente de denominação fossemos fiéis ao Nosso Pai do céu essas porcarias de novelas, de bbbs, de programas e filmes que fazem apologia a promiscuidade e a violência, teria o ibope que tem?
    Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br

    ResponderExcluir