terça-feira, 18 de outubro de 2011

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL (Parte IV - Doutrina)

O SACERDÓCIO CRISTÃO


Falou também o Senhor a Arão, dizendo: Não bebereis vinho nem bebida forte, nem tu nem teus filhos contigo, quando entrardes na tenda da revelação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso pelas vossas gerações, não somente para fazer separação entre o santo e o profano, e entre o imundo e o limpo (Lv 10.8-10).
De acordo com o texto de Levítico nenhum sacerdote deveria beber bebida alcoólica, a fim de desempenhar suas funções sacerdotais diante de Deus. A pergunta é: Isso é também para a Igreja de Jesus? Leiamos: Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (IPe 2.9). O apóstolo Pedro está falando a respeito da Igreja de Jesus e notem que ela é chamada de “sacerdócio real”. Deus levantou uma Igreja sacerdotal, ou seja, intercessora que ora em favor do mundo. E é claro que o nosso Deus que da Lei trouxe a graça não mudou seus padrões de santidade e requerem de nós as mesmas coisas. Vejamos ainda: “... e nos fez reino, sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos. Amém” (Ap 1.6). “... e para o nosso Deus os fizeste reino, e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra” (Ap 5.10).
Quando aceitamos o Senhor Jesus como sendo nosso único salvador nos tornamos sacerdotes de Deus. E como tais, devemos cumprir a Palavra que diz: “Não bebereis vinho nem bebida forte” (Lv 10.8).
Em nossa cidade temos várias casas de recuperação de alcoólatras e muitas delas não são religiosas. Em conversa com alguns que lideram essas casas fiquei surpreso com as suas convicções. Disseram-me que uma das maiores hipocrisias da sociedade é o “beber socialmente”. Continuou dizendo-me que todo alcoólatra começou com uma pequena dose de cerveja por exemplo. Alguns até gostariam que fosse crime o consumo dessas bebidas, visto que fazem mais mal que outras drogas proibidas. Veja o depoimento de José M. de Melo, ex-alcoólatra, hoje ministro do evangelho:
“A incontestável realidade é que o beber apenas um aperitivozinho diariamente não nos outorga nenhum privilégio. Preferível lhe seria... sofrer uma terrível e nauseante ‘ressaca’, por embriagar-se desenfreadamente uma única vez na vida, que paulatinamente ir sendo envolvido pelo álcool...” (Da Escravidão Alcoólica à Libertação Cristã; pág. 21 ed. 1982 - itálico do original)
Como cristão, ao ouvir esses depoimentos, fiquei mais convicto que devemos nos abster desse veneno que é a bebida. Como sacerdote de Deus, não tenho dúvidas quanto ao álcool.
Meu ministério sacerdotal não pode ser quebrado por esse repugnante vício. Você que é servo de Deus não deve se envolver com esse mal e sim tirar os que nele estão envolvidos. Imagina como alguém que bebe poderá pregar e dar bom testemunho à um viciado que se encontra possuído pelo álcool ? Dizer que Jesus liberta? Isto seria bater de frente com Romanos cap.2 que afirma o seguinte:

21 “tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?”
22 “Tu, que dizes que não se deve cometer adultério, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, roubas os templos?”
23 “Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?” Ainda que a doutrina de sua “Igreja” permita tal coisa, a Palavra de Deus, contudo é mais forte que todas as doutrinas humanas. E digo mais, se a sua igreja aceita o “beber socialmente”, isto não é um bom sinal de saúde espiritual!!!

A CCB ALEGA QUE SÓ O SEU BATISMO É CORRETO


A CCB não reconhece o batismo efetuado por ministros do Evangelho de outras denominações, mesmo que seja por imersão, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28.19). Não condenamos a fórmula adotada pela CCB para batizar os seus adeptos. É verdade que não concordamos com a maneira pela qual ela ministra o batismo nas águas, ou seja, o candidato ao batismo não recebe nenhum devido preparo ao se batizar, há pessoas que se batizam ainda com vícios e que não teve uma experiência do novo nascimento, ficando à mercê do sentimentalismo, pois acreditam que se Deus tocar na pessoa na hora do batismo, ela pode naquele momento ser batizada e ser salva, fazem isso devido a uma má compreensão do texto bíblico de Atos 2.38, acreditam que as águas purificam pecados. Todavia, não desmerecemos tal batismo. A problemática toda recai nos argumentos levantados pela CCB, para não reconhecer o batismo de outras denominações. Analisemos os principais:

- O batismo de outras comunidades cristãs evangélicas está errado, porque utilizam a expressão “eu te batizo”. A CCB entende que ao dizer “eu te batizo” é a carne que opera, o homem, colocando-se na frente de Deus.
- O batismo só é valido se efetuado com está formula: “Em nome do Senhor Jesus te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.
- O batismo da CCB purifica o homem do pecado.

RESPOSTA: O primeiro argumento da CCB é de uma pobreza descomunal: Ora, qual a diferença entre a expressão, “eu te batizo”, e a da CCB, “te batizo”? Na primeira expressão o sujeito está explícito; na segunda o sujeito está oculto. Das duas, uma: Ou a CCB pensa que no ato batismal não é o homem que batiza, mas Deus, ou eles não conhecem a língua portuguesa! É claro que é o homem que efetua o batismo, pois Jesus mandou que os discípulos assim o fizessem. Além disso, se, pelo fato de utilizar a expressão “eu te batizo”, estivéssemos errados e ofendendo a Deus, então João Batista não estaria certo tão pouco quando batizou Jesus, pois naquela ocasião usou a seguinte expressão: “Eu vos batizei em água; ele, porém, vos batizará no Espírito Santo” (Mc 1.8) e “Eu, na verdade, vos batizo em água” (Mt 3.11). Será que a CCB acha que João Batista estava errado também?
O segundo argumento da CCB acerca da fórmula batismal é uma prova da falta de conhecimento Bíblico e teológico. Eles criaram uma fórmula que não existe nas escrituras. A menção do batismo em nome de Jesus (Atos 2.28; 8.16; 10.48 e 19.5) encontra-se em passagens que não tratam da fórmula batismal, e, sim, de atos ou eventos feitos em nome de Jesus, pois tudo o que é feito em nossas vidas é em nome de Jesus. Veja o que diz o apóstolo Paulo em Colossenses 3.17: “E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai”. O cristão quando se reúne, se reúne em nome de Jesus; Quando louva a Deus com cânticos, louva em nome de Jesus; Quando apresentamos uma criança, apresentamos em nome de Jesus;... e quando realizamos um batismo, realizamos em nome de Jesus, mas de acordo com a fórmula dada por Cristo: “Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo” (Mt 28.19). Os textos do livro de Atos só nos mostram essa realidade e não uma fórmula batismal; veja: “Em nome de Jesus Cristo” (At 2.38); “em nome do Senhor Jesus” (At 8.16). Se essas passagens revelassem a fórmula batismal, seriam iguais, pois qualquer fórmula é padronizada. O que a Palavra está dizendo é que as pessoas eram batizadas na autoridade do nome do Senhor Jesus, mesmo porque não é possível que Pedro, pouco tempo depois da ordem de Jesus, em Mateus 28.19, agisse de modo tão diferente, alterando a fórmula batismal.
O terceiro argumento é de que o batismo, na CCB, purifica o homem do pecado. Tal afirmação é desqualificada, sem base bíblica, basta somente um pequeno versículo bíblico como o de I João 1.7 para lançar por terra essa heresia medieval: “... e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado”. A Bíblia deixa bem clara essa questão. O que nos purifica é somente “O SANGUE DE JESUS CRISTO”. Em Marcos 16.16 é dito que: “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Não é dito que quem não crer e não for batizado será condenado, mas apenas quem não crer. O ladrão da cruz não teve tempo para se batizar, mas creu no Senhor, recebeu a remissão dos seus pecados pelo seu sangue e foi salvo (Lc 23.43).

ORAÇÃO SÓ DE JOELHOS?


A Bíblia diz: “Orai sem cessar” (I Ts 5.17). Na CCB os crentes são obrigados a orar somente ajoelhados. Não podem obedecer ao texto citado, pois para obedecê-lo teriam de permanecer ajoelhados sem cessar. Tentam os líderes da CCB provar com Filipenses 2.10 que somos obrigados a orar somente ajoelhados. Esse texto refere-se ao fim, quando todos, crentes e ímpios, terão de reconhecer Jesus como Senhor e terão de dobrar seus joelhos em sua presença.
A respeito da oração e sobre a posição que se deve orar citaremos alguns textos:

a) Jesus orou em pé, diante do túmulo de Lázaro, e sua oração foi ouvida (Jo 11. 41,42). Portanto orar em pé não é pecado.
b) Jesus orou na cruz (Lc 23. 34-46).
c) O profeta Jonas orou no ventre de um grande peixe (Jn 2).
d) O rei Ezequias orou deitado e Deus ouviu-lhe o clamor (II Rs 20.1-5), provando assim que Deus não olha para a posição do corpo, mas para o coração.
e) O publicano orou em pé e desceu justificado para casa (Lc 18.13, 14).
f) O cego de Jericó orou assentado à beira do caminho e recebeu o milagre (Mc 10.46-52).

Observando tudo isto, chegamos à conclusão lógica: NÃO É A POSIÇÃO DO CORPO QUE INTERESSA PARA DEUS; É A ATITUDE INTERNA QUE IMPORTA. Todos oramos ajoelhados, porém, não somos como a CCB que só podem orar ajoelhados. Somos livres para orar da maneira mais favorável, sem cessar, em qualquer lugar. Imagine as pessoas que tem problemas físicos como por exemplo, os paraplégicos que não podem ajoelhar, será que Deus não ouviria a oração de tais pessoas ? Veja a incoerência das doutrinas inventada pela CCB!

PRATICAM O ÓSCULO SANTO


A Bíblia mostra, em algumas epístolas, que os irmãos se saudavam com um beijo no rosto em sinal de cordialidade e cumprimento (Rm 16.16). Era um costume da época, como o nosso hoje, de saudar uns aos outros com um aperto de mão. O ósculo não é colocado como uma doutrina ou ensinamento, mas apenas como um gesto de cordialidade que deveria e deve haver entre os irmãos. Em nossas igrejas o povo é livre para saudar, não frisamos o ósculo pelo fato da inconveniência. A Bíblia nos ensina a evitar a aparência do mal (I Ts 5.22). Na nossa sociedade, homem beijando homem é um tanto escandaloso, sendo uma prática homossexual. Não queremos causar escândalos a ninguém (Rm 14. 13) e por isso evitamos a prática do ósculo. Também é mostrado na Bíblia que essa prática do ósculo não era prática somente entre homens e homens e mulheres com mulheres, mas sim entre todos os irmãos independentemente do sexo. “Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo”. (Rm 16.16). Para o apóstolo Paulo todos eram iguais perante Deus não havendo homem ou mulher (Gl 3.27, 28). O beijo ou ósculo, que é tão venerado pelos membros da CCB, foi parte de uma história triste, onde Judas com um beijo traiu o Senhor: “Jesus, porém, lhe disse: Judas, com um beijo traís o Filho do homem?” (Lc 22.48). Ademais disso os membros da CCB para serem coerentes deveriam saudar-se nas ruas com osculo santo, pois assim faziam os primeiros cristãos. Mas não o fazem porque o consideram inconveniente. A bem da verdade, essa prática está sujeita à malicias se tornando indiscreta para o povo de Deus hoje em dia!

A CCB E O PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO


Entendem que o adultério é o pecado contra o Espírito Santo de que fala a Bíblia. Grande porcentagem de desviados e até andarilhos e mendigos que já conheci, são desviados principalmente da CCB por ter achado que não têm mais perdão, pois pecaram contra o Espírito Santo.

O que é blasfêmia contra o Espírito Santo?

Conforme a popularidade de Jesus crescia, seus inimigos procuravam, desesperadamente, meios para explicar seus maravilhosos poderes. Finalmente, decidiram alegar que ele expulsava demônios pelo poder do próprio Satanás (Mt 12.22-32; Mc 3.22-30; Lc 11.14-23). Jesus respondeu com três argumentos e uma advertência.
Seus argumentos foram os seguintes:

1. Satanás não atacaria a si mesmo, pois ninguém luta contra si mesmo.
2. Se eu expulso demônios por Satanás, como seus filhos os expelem?
3. Para roubar a casa de um homem forte, tem-se primeiro que amarrá-lo.

Expulsando demônios, estou amarrando Satanás, de modo que eu possa cumprir minha missão de resgatar àqueles que Satanás mantém cativos.
Sua advertência foi: “Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e as blasfêmias que proferirem. Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno”. (Mc 3.28-30).
O que é este pecado imperdoável? Muitos trechos ensinam que é possível ir tão longe de Deus que não se pode retornar. Paulo adverte sobre consciências insensíveis (1 Tm 4.2). Hebreus fala de corações endurecidos (capítulo 3) e daqueles que não podem ser trazidos de volta ao arrependimento (capítulo 6). João fala daqueles cujos pecados levam à morte, uma vez que eles se recusam a se arrependerem e a confessá-los (I Jo 5.16, 17). O próprio Jesus fala do solo que foi pisoteado e compactado ao ponto em que nenhuma semente pode germinar (Lc 8.5). Cada passo que damos afastando-nos de Deus aproxima-nos do ponto sem retorno. Podemos perder o poder moral para mudar e voltar ao Senhor.
O problema, naturalmente, não está na vontade de Deus de perdoar o pecador (Lc 15; II Pd 3.9). Deus alegremente aceita e perdoa a todos que se arrependem. O problema está em que alguns rejeitam cada tentativa de Deus para motivar o arrependimento. Depois que Jesus deixou a terra, o Espírito Santo veio para revelar a mensagem final da salvação. Para aqueles que a recusam e se voltam contra o Espírito Santo, Deus não tem nenhum outro plano. Não há outro sacrifício pelo pecado (Hb 10.26-31). Aqueles cujo estado endurecido faz com que recusem o rogo final de Deus, nunca serão perdoados. Esta é a blasfêmia contra o Espírito Santo. Queira Deus conceder-nos corações tenros para prontamente responder à sua palavra.

A CCB ALEGA QUE A SUA SAUDAÇÃO É A ÚNICA CERTA


- A paz do Senhor irmão!
- Amém!
O diálogo acima é um exemplo corriqueiro de quem quer ter comunhão com um membro da CCB. Repare que eles não devolvem a paz (Lc 10. 5,6), mas um amém, por que acreditam que nossa saudação está incorreta.
Se formos seguir a atitude preconceituosa dos adeptos da CCB, a saudação adotada por eles seria passível de questionamento, o que não ocorre pelo fato de os evangélicos, de maneira geral, respeitarem os costumes de outras igrejas. A CCB nos acusa e critica por usarmos a forma de saudar com a “Paz do Senhor” em hebraico “Shallon Adonay”. Citam para justificar esse conceito a seguinte expressão: “Devemos saudar com a paz de Deus, e nunca com a paz do Senhor, porque existem muitos senhores, mas Deus é um só”. Essa acusação da CCB se desfaz em pó com somente um versículo que Paulo escreveu na primeira carta aos coríntios 8:5 e 6, que diz: “Pois, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores), todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também”. Esse conceito da CCB não procede é no mínimo perigoso, pois a saudação deles de “Shallon El” é um termo genérico “El” em hebraico significa pode se referir a qualquer Deus enquanto que “Adonay” não, só se refere ao Deus dos Israelitas. Não discordamos da CCB por ter adotado a forma “paz de Deus” para cumprimentar, mesmo porque é bíblica. O que não podemos de maneira alguma aceitar é a atitude discriminatória de seus adeptos, que pensam que por saudarem com a forma que eles adotaram, estarão num patamar espiritual mais elevado, condenando todas as demais saudações. Para seguirmos a risca os preceitos bíblicos teríamos que saudar com “graça e paz”, pois foi a saudação mais usada nas epistolas!

FLAGRANTE ANALOGIA


Não podemos deixar passar despercebido a incrível semelhança entre a Congregação Cristã no Brasil e a congregação de Coríntios. Não seria nada injusto taxá-la de neocorintiana, visto que os mesmos problemas que existia na igreja dos Coríntios existe atualmente na CCB. Suas práticas e doutrinas e costumes são idênticos.
O apóstolo escreveu suas duas epístolas justamente para corrigir equívocos e desvios doutrinários dentro da novel igreja. Analisemos agora a comparação.

1. Paulo tinha problemas com aquela igreja no tocante ao orgulho espiritual de possuir muitos dons, mas, no entanto permaneciam carnais, dando mau testemunho aos de fora 1.7; 3.1.
2. Eles ultrapassavam os ensinamentos bíblicos 4.6.
3. Possivelmente tinha o batismo como primazia, daí a advertência do apóstolo 1.14,17.
4. Não possuíam pastor foi preciso o apostolo enviar-lhes um 16.10.
5. Eram contra o salário do pastor 9.6-14.
6. Eram contra o preparo intelectual e o estudo tendo Paulo que alertar sobre isso II Co 8.7; 11.6.
7. O uso do véu 11.1

Esses são apenas alguns dos pontos em que a CCB clonou da igreja de Corinto!
É bom frisarmos que aquela igreja era uma igreja deficiente devido a inúmeros erros doutrinários, e não era de forma alguma, uma igreja que pudesse servir de exemplo para as demais!

PECULIARIDADES DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL


A CCB possui ainda outras práticas particulares além das que já foram expostas acima, que a distancia ainda mais das igrejas evangélicas. Vejamos:

- A ceia do Senhor é celebrada anualmente com um só pão sempre partido com a mão e também com um só cálice, jogando depois, as sobras em qualquer rio.
- Cerimônias de casamento não se realizam no templo. O crente da CCB não deve participar de casamentos de pessoas não pertencentes a CCB, isso seria participar de coisas sacrificadas aos ídolos.
 - Cerimônias fúnebres são proibidas nos templos.
 - Acreditam na doutrina anti-biblica do sono da alma no intervalo entre a morte e a ressurreição.
 - Mulheres não podem pregar na CCB, pois acreditam que a Bíblia lhes vetou este direito, se bem que no início do movimento as mulheres tinham esse privilégio.
 - Na liturgia do culto só aceitam instrumentos de sopro ou fôlego, alegam isso com base no Salmo 150:6.
 - Nos templos há separação entre homens e mulheres.
 - Proibição de fotografarem durante os cultos.
- Proibição de os membros assistirem cultos em outras igrejas.
- Não possuem livros didáticos ou de quaisquer espécies, salvo um livreto que contêm a história e as doutrinas da CCB.

CONCLUSÃO


Após essa análise crítico-teológica que fizemos da CCB não pense o leitor que declaramos guerra a esta igreja. Muito pelo contrário, adotamos o conselho bíblico “Instrui ao sábio, e ele se fará mais, sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento”. (Pv 9.9).

Partindo dessa premissa acreditamos piamente que estamos ajudando muitos a enxergar além das lentes da CCB e perceber os erros e desvios doutrinários que é endossado pela sua igreja.
Oramos também, para que Deus aumente o entendimento de seus membros ao procurarem a palavra de Deus, que o orgulho carnal caia por terra e venhamos a ter comunhão como irmãos e não como primos. Graças a Deus que essa nova geração da CCB não apresenta uma mente tão fechada como são as dos mais antigos, devido as inúmeras crendices que são espalhadas entre seus congregados. Muitos deles até se sentem ofendidos com os pontos expostos acima. E não lhes tiramos esse direito. Sentem-se assim, por não serem coniventes com essas heresias. Aliás, há até e-mails de membros da CCB criticando nossos estudos em relação à sua igreja, mas infelizmente esse percentual ainda é minoria, uma quantidade inexpressiva, pois a maioria continua ainda praticando essas anomalias e se achando melhores que os outros cristãos!.
Bibliografia

DEFESA DA FÉ - Edição especial de 1998
DEFESA DA FÉ - Edição 1998 n8
VINTE RAZÕES POR QUE NÃO PERTENÇO A Congregação Cristã no Brasil - Justus
CONHECENDO A CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL S.V MILTON
ERROS DOUTRINÁRIOS DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL (apostila) Natanael Rinaldi -ICP
LIÇÕES BIBLICAS CPAD 1995 1 trimestre 1997, 2 e 4 trimestres.
BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL - CPAD
TEOLOGIA SISTEMÁTICA - STANLEY M. HORTON CPAD
ANOTAÇÕES PARTICULARES DO AUTOR
PENTECOSTALISMO NO BRASIL Profa. Yara Nogueira Monteiro

7 comentários:

  1. sou membra da ccb penso um pouco como voçes mas tenho esperança de tudo mudar pra melhor

    ResponderExcluir
  2. Prezada,

    Não fique brava comigo,mas não é possível mudar o sistema doutrinário de uma Instituição. A CCB interpreta errado muitos textos bíblicos, valendo apenas o que a alta cúpula determina e não o que a Palavra de Deus determina. Infelizmente, não tenho a mesma esperança que você tem.

    Respeitosamente,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você conhece realmente a CCB ? Já frequentou ? Por quanto tempo ? Cara, veja só, pra citar apenas um ponto: Dizer que a igreja só aceita instrumento de fôlego !!! Fala sério!!! E os violoncelos, violinos, violas de arco, órgão , acordeon que são usados lá, hein ? Você está deduzindo coisas! Outro ponto: Sobras da santa ceia são jogadas em qualquer rio !!! Sinceramente, você não conhece a igreja! Sobras devem ser " enterradas" , entendeu? Hinários danificados, véus, bíblias que se tornam ilegíveis devem ser de igual forma "enterrados" , entendeu ? Faça uma visita na igreja, ok? Você vai ver que , na bíblia sagrada, o apóstolo adverte: "Não devemos participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios" ... Como então os membros poderiam comer em festas de outras igrejas? Católicas ou sei lá o quê? Concordaríamos com a idolatria católica do Natal, por exemplo ? ...

      Excluir
  3. vc se acha serto Gilsom barbosa

    ResponderExcluir
  4. Correção de uma parte descrita no texto acima: Os membros da CCB não se cumprimentam com a Paz do Senhor, mas sim com a "Paz de Deus".O Véu é para distinguir o homem da mulher, pois anjos não tem gênero masculino e nem feminino, não pertenço a nenhuma religião, pois acredito em um Deus de amor que não faz distinção de religião ou placa de igreja,acredito que são as minhas obras boas que me move com paz na consciência,nem tão pouco a estas igrejas tradicionais e renovadas que extorquem dinheiro da fé alheia e ainda fala em valores para que seus pastores fiquem ricos e seus fiéis na miséria, a raça humana lembra de Deus quando está na dor, porque quando se está bem nem de se lembra de agradecer a Deus.

    ResponderExcluir
  5. Correção em relação ao texto descrito: Os membros da CCB não se cumprimentam com a paz do Senhor, se cumprimentam com a paz de Deus, as mulheres usam véu, porque os anjos não têm gênero feminino e masculino, concordo que os pastores não recebam salários, porque acho que é uma forma de extorsão da fé alheia, e a contribuição para igreja tem que ser livre e espontânea,sabe-se que a igreja precisa de pagar contas, mas Deus não precisa de dinheiro, não pertenço nenhuma seita, religião,denominação, porque todas são falhas e meramente doutrinas feitas por homens, acredito em Deus de misericórdia, de amor, e não em placa de igreja, a raça humana só lembra de Deus na dor, quando se está bem nem se lembram de agradecer a Deus, pedir todo mundo pede, agradecer é raridade.

    ResponderExcluir