terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O QUÊ [MAIS] QUEREM OS HOMOSSEXUAIS?

Por Gilson Barbosa

Respeito os homossexuais, mas não sou favorável à homossexualidade. Fazer o que, tenho esse direito não é mesmo? Ou não? Nunca espanquei um homossexual (nem pretendo, não faria isso nem com meus “inimigos” héteros) e nem profiro palavras pejorativas a seu respeito. No ambiente onde trabalho há mais que uma pessoa homossexual, mas nem por isso sinto aversão, medo ou raiva, à pessoalidade deles. Nem os considero menos humano ou mais humano que minha pessoa. Concordo com a frase musical da outrora banda brasileira Mamonas Assassinas, Gay também é gente!

Não é certo desumanizar os homossexuais. Todas as pessoas carregam em si mesmas a imagem e semelhança de Deus, mesmo após a queda do homem. O apóstolo Tiago (3.9), comentando sobre o cuidado que devemos ter com certas palavras que proferimos, evidencia que todas as pessoas, inclusas as regeneradas por Deus ou não, possuem essa imagem Divina: “Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus” (a expressão com ela trata-se da língua). O pastor John Sttot pondera a esse respeito também e diz que os homossexuais são

apenas pessoas humanas feitas à imagem e semelhança de Deus, ainda que caídas, com toda a glória e tragédia que este paradoxo possa implicar. (Grandes questões sobre o sexo, p. 159).

Assassinar homossexuais, desrespeitá-los, discriminá-los, é tão cruel quanto praticar os mesmos atos e atitudes com pessoas heterossexuais. No entanto, assim como não aprovo a infidelidade conjugal, a pornografia, a pedofilia, também não consinto com as atitudes homossexuais. Se esta minha atitude pessoal caracteriza discriminação social, dois fatos podem estar acontecendo: posso não saber muito bem o que significa discriminar alguém ou os homossexuais não respeitam a individualidade e opção heterossexual. No entanto, segundo o significado do próprio termo eu não discrimino nenhuma pessoa, até mesmo os homossexuais. As vezes acho que os homossexuais estão muito atrevidos. Deveriam “baixar a bola”. 

Porém, prefiro não falar sobre homossexuais, mas homossexualidade (apesar das duas estarem relacionadas). Até porquê corro sério risco de ser processado judicialmente, pois um dos orgulhos que deve ter a classe gay é fazer uso constante do direito legal.  É nesse quesito que eles estão se esforçando para assegurarem seus direitos. No meio de tantas leis porque criar leis específicas aos homossexuais? O artigo 5º da Constituição Federal, por exemplo, já desaprova a discriminação de qualquer ato:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes.

Alguns justificam a criação de leis específicas para que sejam levadas mais a sério. Até certo ponto concordo. De fato as autoridades no Brasil não tratam com seriedade as leis que existem.  É verdade também que algumas leis estão ultrapassadas. Contudo, parece que na verdade, os homossexuais querem mesmo é visibilidade, aceitação social, e liberdade para praticarem seus desejos sem serem questionados. Alguns homossexuais não querem nem mesmo que a homossexualidade seja criticada – aí é demais não é?

Fosse só isso até que seria bom, pois, a vontade da classe gay é que as práticas da homossexualidade sejam aprovadas e que toda a desaprovação social seja castigada com punições aos “transgressores”.  Para tanto está em trâmite no Congresso Nacional a PLC 122/06. Leia aqui o projeto de lei e observe a petulância homossexual, os absurdos desta lei, e as terríveis implicações dela, se aprovada.  



Devo dizer que não sou homofóbico, mas não aprovo a homossexualidade. Revelo que não me sinto confortável quando vejo duas pessoas do mesmo sexo se acariciando publicamente. Talvez, porque isso seja anormal? Ou será que é porque eu sou anormal? Ou é o normal que está errado? No entanto, se eu as vir cometendo esse ato público, não as tratarei a socos e pontapés.  

Quanto à homossexualidade ser normal ou não, o assunto é deveras polêmico. Temos informações que as diferentes teorias sobre as causas da homossexualidade somam mais de setenta. A mais comum é dizer que é inata e respaldá-la cientificamente (leia aqui argumento contrário). No entanto, cientistas abalizados evitam “bater o martelo” e endossar as pesquisas. O que sobra é apenas teorias. Para os cristãos, Deus e a sua revelação escrita (a Bíblia Sagrada) se sobrepõem as teorias da ciência moderna.

Simplificando as teorias existentes, três são sugestivas: o determinismo biológico, os fatores psicossociais e a preferencia adquirida. A primeira é contrastada pelo fato de que ninguém nasce homossexual. Comparar homossexualidade com questão racial não tem comprovação cientifica; chega até mesmo ser anti-intelectualismo. Jesus disse certa vez sobre essa verdade:

                                            Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea.

A segunda sugestão tem sua validade, mas devido às múltiplas raízes das causas da homossexualidade ela não diz respeito à opção pelo comprometimento com a orientação sexual preferida. A terceira sugestão valida a natureza humana depravada e caída em pecado. Sabemos que área sexual foi muito afetada em sua diversidade por causa do pecado: prostituição, voyeurismo, bestialidade, incesto, pornografia, sexo grupal, trocas de parceiros no ato sexual, entre outros. Por conta disso a Bíblia nos informa, em Romanos 1.26-28, que as pessoas foram entregues, por Deus, as práticas homossexuais:

Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm.

Ter direito a ser homossexual é um direito constitucional que não pode ser negado. Entretanto, querer empurrar “goela abaixo” a homossexualidade e as práticas homossexuais em quem discorda dela é também infringir outros direitos. Os gays ficam furiosos quando pregamos sobre a “cura” da homossexualidade e o retorno ao heterossexualismo, pois conforme dizem ela não doença. No entanto, minha análise é bíblica, e nesta questão o apóstolo Paulo nos informa que havia pessoas na igreja em Corinto que haviam sido homossexuais, ou seja, o processo da regeneração salvífica atinge a área sexual também:

Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.

Espero que se algum homossexual ler essa postagem não seja atacado por uma espécie de chilique heterofóbica e se enraiveça com essas opiniões – até porque tenho direito de expressar livremente meu pensamento.

Em Cristo,

2 comentários:

  1. Paz!

    Seguindo este blog via Prossigo para o Alvo...

    Faça-nos uma visita em prossigo.blogspot.com

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e Paz Robson,

      Obrigado pela visita e por seguir este blog. Estarei seguindo o seu blog também. Confira lá.

      Grande abraço,

      Excluir