sábado, 30 de agosto de 2014

QUAL A HORA DO ENCONTRO ENTRE JESUS E A MULHER SAMARITANA?

Gilson Barbosa

Querido leitor, você já deve ter ouvido pregações ou lido artigos e livros evangélicos afirmando que o encontro de Jesus com a mulher samaritana aconteceu por volta do meio-dia, ou seja, a sexta hora judaica. Mas à luz de outras menções de hora, principalmente nos evangelhos, isso não parece ser provável.

As horas eram computadas do nascer até o por do sol e o tempo do dia era indicado em termos mais gerais. No Novo Testamento é muito comum a menção das horas em primeira, terceira e nona hora; o que equivale as seis, nove e doze horas (ou meio-dia).

Qualquer tempo restante para completar o dia era considerado no computo total. Por exemplo, Jesus “entregou seu espírito ao pai” (sua morte física) por volta da hora nona (Marcos 15:34; Lucas 23:44-46) e disse que ressuscitaria no  terceiro dia (Mateus 20:19). Na contagem moderna ele morreu por volta das quinze horas da sexta-feira (15h00) e ressuscitou na segunda-feira. Mas, a Bíblia afirma que ele ressuscitou no primeiro dia da semana, isto é no domingo (Lucas 24:1). Então a explicação é a seguinte: nas três horas restantes da sexta-feira conta-se um dia, sábado conta-se mais um dia, e no começo do domingo, o terceiro dia.  

Os antigos faziam a divisão do dia em três partes, conforme notamos nos Salmos 55: “À tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e lamentarei; e ele ouvirá a minha voz” [grifo meu]. Para os judeus um novo dia iniciava-se ao por do sol. A vigília noturna era dividida também em três partes e era assim: primeira vigília (18-22h); segunda vigília (22-2h) e terceira vigília (2-6h). O evangelista Marcos divide em quatro vigílias, segundo a contagem dos romanos (Marcos 13:35).

Mas voltemos à mulher samaritana e a hora em que ela se encontrou com Jesus. Se considerarmos a contagem judaica diremos que o encontro foi por volta do meio-dia (sexta hora). Isso cria um problema sério entre os escritores dos evangelhos quanto à crucificação de Jesus. Marcos (15:25) afirma que Jesus foi crucificado na hora terceira (ou às nove da manhã). Mas João (19:14) diz que Jesus foi interrogado por Pilatos cerca da hora sexta (ou meio-dia). Fica a pergunta: “Jesus teria sido interrogado por Pilatos depois que foi crucificado?”. Isso não seria uma contradição lógica, dos fatos e dos evangelistas?

Mesmo que a maioria dos estudiosos não concorde é provável que devemos computar as horas no evangelho de João conforme as horas modernas, ou seja, de meia-noite ao meio-dia. Assim sendo, sexta hora são seis horas, décima hora são dez horas e assim por diante. Isso harmoniza com o fato histórico de que Jesus foi julgado por Pilatos às seis horas da manhã (a primeira hora judaica).

Desta maneira o encontro de Jesus com a mulher samaritana aconteceu às seis horas da tarde e não ao meio-dia. Robert Gundry (Panorama do Novo Testamento) observa que “as mulheres costumavam tirar água do poço ao cair da tarde, e não sob o calor do meio-dia”. A Bíblia de Estudo Vida afirma que “geralmente as mulheres iam ao poço da cidade quando o calor estava menos intenso, seja pela manhã, seja ao entardecer”. Essas considerações fortalecem o entendimento que intenciono defender a respeito deste assunto. Alguém pode dizer que a mulher estava sozinha no poço. Porém, culturalmente isso é improvável. Por outro lado podemos afirmar que o registro joanino é de que Jesus conversou apenas com a mulher samaritana.  

Espero ter sido claro e me fazer entendido.


Em Cristo,

Nenhum comentário:

Postar um comentário