segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

JESUS É O ARCANJO MIGUEL (Parte I)

Por Gilson Barbosa

Calma leitor! Se você está pensando que me tornei herege está enganado. Li um artigo (leia aqui), alguns meses atrás, onde o interesse do articulista era defender (com garras e dentes) o enunciado acima no título. Pensei intitular esse artigo “Jesus não é o arcanjo Miguel”, mas deixo o título acima intencionalmente para atrair a atenção. Pois bem, vamos ao ponto. A Igreja Adventista do Sétimo Dia, por meio de seus teólogos e estudiosos, ensinam veementemente que Jesus é o arcanjo Miguel, e isso implica afirmar que, nesse entendimento, na hierarquia angelical não há uma classe de anjo denominada arcanjo. Contudo, a teologia ortodoxa, ao longo dos séculos tem ensinado que essa classe angelical faz parte da organização celestial que Deus projetou para os seres espirituais criados por Ele.
Destaco quatro bases, que supostamente apoiam o ensino adventista de que Miguel é apenas um dos nomes de honra de nosso Senhor Jesus: 1) O significado do nome Miguel; 2) A definição [redefinição] do termo arcanjo; 3) interpretação [reinterpretação] de textos tais como Judas 9, e 4) os quatro grandes blocos proféticos do livro de Daniel (caps. 2,7,8,10-12). Não quero ser prolixo, portanto postarei em duas etapas para não tornar a leitura cansativa. Vejamos os primeiros dois pontos.
OS QUATRO ARGUMENTOS
1. O significado do nome Miguel – O nome Miguel significa “Quem é como o Senhor”? Uma resposta direta e simples seria: Ninguém. Não há ninguém como o Senhor Deus! Mas, para os adventistas a resposta correta é: Eu, Jesus!
O significado do nome Miguel, a princípio, apenas intenciona instigar a comparação entre a grandeza e o poderio de Deus e os demais poderes, mas num passe de mágica os adventistas afirmam que o sentido é outro: um desafio do próprio Jesus a Satanás. É impossível chegar a essa conclusão (de que um dos nomes de honra de Jesus é Miguel) somente por seu significado. Igualmente, nesse mesmo entendimento, há outros nomes pelos quais Jesus também deveria ser chamado. Por exemplo: Micaías significa “Quem é como Yah (Yahweh)”? Mica, “Quem é como Yahu (Yaweh)”? Mical (nome feminino que é uma contração feminina do nome Micael) significa “Quem é como El (Deus)”? Daí pergunto: Por que, então, os nomes de Micaías, Mica ou Mical não podem também ser nomes de honra de Jesus? Dirá um adventista informado que, a prova dessa conclusão não é apenas o significado do nome, mas um conjunto de textos bíblicos que esclareçam o assunto em questão, o que nos remete então a examinar esses textos, mas para não enfadá-los, leitor, analisaremos Judas 9. Mas, antes que eu esqueça, o artigo adventista que baseio essa defesa textual tem o título “Miguel não é mais que um título atribuído a Jesus”, [grifo meu], porém, ocorre que, segundo certa definição “título é uma designação atribuída a um indivíduo em razão das suas qualificações, que podem ser de natureza nobiliárquica, acadêmica, profissional, electiva ou honorífica”. Portanto, numa definição secular, o erro adventista já começa quando quer afirmar que nome pessoal (Miguel) é título de alguém (Jesus).
2. Interpretação adventista [ou reinterpretação] de Judas 9 – Na teologia ortodoxa, interpretar que Jesus é Miguel (Judas 9) significa rebaixar sua autoridade, pois “o arcanjo Miguel quando argumentava com o Diabo, e batalhava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a fazer qualquer acusação injuriosa contra o inimigo, limitando-se a declarar: ‘O Senhor te repreenda”’[Versão King James]. Para os adventistas, esse acontecimento não rebaixa a autoridade de Jesus (o fato de Miguel remeter-se a Deus para expulsar Satanás) da mesma forma que não rebaixa a autoridade de Deus quando não optou por expulsar Satanás da sua presença em Jó 1.6-12. No entanto, são dois acontecimentos distintos e a associação de textos (Judas 9 com Jó 1.6-12) é indevida e contraditória. Deus não expulsou Satanás de sua presença, pois havia um objetivo em recebê-lo: provar o fiel Jó. Como isso aconteceria se Deus não admitisse a presença de Satanás ali? Havia a necessidade de dialogar com Satanás. Não é esse o conteúdo dos acontecimentos em Judas 9, e, na verdade esse texto fala da “reverência e postura de um anjo” diante de Satanás. O pastor Claudionor de Andrade, comentando Judas 9 (Lição Bíblica, 1º trimestre de 2002) escreve que o arcanjo Miguel, apesar de seus incríveis poderes, não ousou afrontar o adversário com as próprias forças, mas usou a autoridade do nome de Deus para repreender o adversário e conclui dizendo que muitos crentes menosprezam o nome de Deus, julgando-se suficientemente fortes para enfrentar o Maligno. As hostes espirituais da maldade, os demônios e Satanás devem ser expulsos em nome de Jesus, e, não foi exatamente isso que Jesus disse aos discípulos? (Mc 16.17). Se o personagem, no texto em debate, fosse Jesus, sua orientação aos discípulos não estaria equivocada no texto de Marcos 16.17?
2.1. I Tessalonicenses 4.16 associado com João 5.28,29 – Como no texto de Tessalonicenses a “voz de arcanjo” refere-se à ressurreição dos santos por ocasião do arrebatamento da igreja e João 5.28,29 diz que os mortos ouvirão a voz de Cristo concluiu-se que o arcanjo é Jesus. Ocorre que, a co-relação de textos é novamente indevida, pois João não disse que os mortos ouvirão a voz do arcanjo, mas a de Jesus. Os salvos falecidos não serão ressuscitados devido à voz do arcanjo, mas por causa da vinda de Cristo para arrebatar sua igreja. Para haver coerência textual todos os mortos (santos e ímpios) deveriam erguer-se ressuscitados (Jo 5.28), mas pela ocasião do arrebatamento da igreja apenas os salvos que morreram ressuscitarão (I Ts 4.16). A voz do arcanjo, o ressoar da trombeta de Deus e o próprio Senhor descendo dos céus são acontecimentos distintos, com pessoas distintas, numa fração infinitesimal. Como os anjos sempre fizeram parte da história de Jesus não seria diferente agora. Tal como num evento, um militar de patente inferior anuncia a chegada ou a presença de seu superior, assim também na vinda de Cristo um anjo, na função de Chefe dos demais, anuncia ao mundo o retorno e a chegada do Soberano Senhor Jesus Cristo.    

3 comentários:

  1. essa explicação tá meio embolada

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo!
    Respeito sua opinião. Apresente suas dúvidas, baseadas no texto e então poderemos dialogar, certo?
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Eu entendi é concordo com a explicação. Existem pessoas distorcendo a verdade bíblica com interpretações puramente humana.

    ResponderExcluir