quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

PAULO CONTRADIZ OS ENSINOS DE JESUS EM II CORÍNTIOS 11.17?

Por Gilson Barbosa

“O que digo, não o digo segundo o SENHOR, mas como por loucura, nesta confiança de gloriar-me” (2Co 11.17)

         A condição pressuposta da pessoa para aceitar e entender a Bíblia como a inerrante e infalível Palavra de Deus é de salutar importância. Se ela desqualifica a Bíblia antes de qualquer coisa, então passa a procurar e enxergar tão somente as “contradições” na Bíblia. O diabo foi o primeiro a dizer o que Deus não disse, porque amargava ódio de Deus e da criatura humana a qual Ele criou.
O que as pessoas chamam de “contradições bíblicas” não passam de dificuldades em entendê-la. Contudo dificuldade em entender a Bíblia não é o mesmo que impossibilidade, obscuridade em compreendê-la. Há para isso escolas teológicas, cursos para obreiros e leigos em geral, muitos livros na área da hermenêutica, conhecimento indutivo, etc. Agostinho prontamente disse: “Se estamos perplexos por causa de aparente contradição nas Escrituras, não nos é permitido dizer que o autor desse livro tenha errado; mas ou o manuscrito tinha falhas, ou a tradução está errada, ou nós não entendemos o que está escrito”. É bom que se entenda que manuscrito é uma coisa e cópia original das Escrituras é outra.
Uma das coisas que aprendemos no estudo bibliológico é que a convicção e a certeza da autoridade da Bíblia provém do estudo interno do Espírito Santo na vida da pessoa. Uma pessoa que não tenha em si o Espírito Santo (Jô 14.17), não foi regenerada (Jô 3.6), é portanto natural (1Co 2.14) e não tem capacidade para entender as coisas espirituais (1Co 2.14). As dificuldades são dirimidas quando há o testemunho interno do Espírito Santo na vida da pessoa.
         O apóstolo Paulo tinha a Palavra de Deus com reverencia e reconhecia ser ela singular: “Por isso também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade), como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes” (1Ts 2.13).
Em outro texto Paulo reconhece que o evangelho que pregava tinha sido revelado a ele por nosso Senhor Jesus Cristo: “Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo” (Gl 1.11,12).
O apóstolo Pedro, ao fazer menção do cuidado que Paulo tinha com os irmãos, refere-se aos seus escritos como tendo autoridade escriturística tanto quanto os outros livros bíblicos: “E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quaispontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição” (2Pe 3.15,16).
Quando Paulo diz “Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento” (1Co 7.6) ou “O que digo, não o digo segundo o SENHOR” (2Co 11.17) não quer dizer com estas expressões que a Palavra de Deus está em contradição com outros textos, como por exemplo, de 2Timóteo 3.16, que diz que: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça”.
No mínimo, entendemos que Paulo está tratando de um assunto segundo seu ponto de vista e que nada fere a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo e das Escrituras em geral. Associar 2Timóteo 3.16 com 1Coríntios 7.6 e 2Coríntios 11.17 e afirmar que isto é contradição implica em pelo menos dois erros: associação indevida de textos e desconhecimento das regras de interpretação bíblica. Devemos tomar “cuidado com a Bíblia na boca do Diabo”.

2 comentários:

  1. Há sim contradições na bíblia. Paulo por exemplo diz que a salvação é pela fé somente sem as obras da LEI.Já Tiago por sua vez, afirma q a salvação só é possível quando a fé é acompanhada das obras. Há ou não uma contradição neste particular? O teórico que consultei sobre essa contradição na bíblia foi o eminente teólogo RUSSUL NORMAN CHAMPLIN, no seu comentário NTI-in loco

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Teresinha,

    A salvação é pela fé em Cristo, porém o cristão deve praticar as boas obras. Se a salvação fosse pelas obras Jesus não censuraria os fariseus. A diferença entre Paulo e Tiago está na postura de seus públicos. O de Paulo negligenciava a fé, o de Tiago negligenciava as obras.

    Um abraço.

    ResponderExcluir