sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Mentiras que ouvimos acerca da Bíblia


“Cada dificuldade e suposta discrepância nas Escrituras... têm uma solução justa e razoável”. John W. Haley

Por Ministério Creced
Tradução: Gilson Barbosa

PERGUNTA: Há contradições na Bíblia?
realmente contradições na Bíblia? Como explicar algumas citações que parecem contradizer as outras?
Às vezes, ouvimos acusações de que há muitas contradições na Bíblia. Normalmente, tais acusações são provenientes de pessoas incipientes, que no fundo têm conhecimento superficial da matéria que acusam e, quando não, são totalmente incultas nesta disciplina.
A Bíblia é um livro maravilhosamente compactado, apesar do fato de ter sido escrita por cerca de 40 homens de opiniões e regiões distintas, em espaço de quase 1500 anos. Esta unidade maravilhosa é uma das evidências mais consistente que temos da inspiração divina das Sagradas Escrituras.
No entanto, existem algumas porções das Escrituras que apresentam “problemasquando alguém as pela primeira vez porque representam conceitos opostos dos dados de outros textos. Contudo, os estudantes da Bíblia têm encontrado explicações e soluções a cada uma das supostas contradições.  

Diferentes fontes e explicações
            No excelente livro Alleged Discrepancies of the Bible (“Alegadas discrepâncias da Bíblia”), o autor John W. Haley classifica estas supostas contradições, oferecendo várias fontes e explicações. Vejamos os sete pontos que envolvem o problema:

1. Diferentes pontos de vista em diferentes períodos
Muitas pessoas pensam quecontradições entre Gênesis 1.31 e 6.6. O primeiro texto nos informa que Deus olhou para a criação e viu que tudo era muito bom, a segunda fonte escriturística nos diz que “arrependeu-se o SENHOR de haver feito o homem sobre a terra”.
Observe atentamente que no primeiro texto a referência está na atitude de Deus após a criação do ser humano antes da queda do pecado. Em contra partida, Gênesis 6.6 demonstra a tristeza de Deus muitos anos depois, ao ver que o homem, o qual havia criado, rebelara-se contra Ele. Alguns comentaristas entendem que a frase que se refere ao “arrependimento” de Deus acontece para que o homem entenda o sentimento de Deus (tristeza) somente do ponto de vista humano.
            Há também muitos outros mandamentos para os judeus no Antigo Testamento que não se repetem no Novo Testamento. Como exemplo, lembremos que o Antigo Testamento ordena a circuncisão, enquanto no período neotestamentário não há a exigência restrita. Isso acontece pelo simples fato de que houve diferentes mandamentos, para diferentes pessoas e em diferentes lugares.

2. Diferentes sentidos de palavras
Em Êxodo 20.13 está escritoNão matarás”; porém, em 1Samuel 15, Deus disse a Saul que matasse os amalequitas. A palavra empregada em Êxodo destina-se ao “ato homicida”          (Gesenius, p.779) e não às campanhas militares como a descrita em 1Samuel 15 quando por diversas vezes Deus ordena que as nações iníquas sejam castigadas. Trata-se de duas palavras com distintas definições.
            A Bíblia diz que Deus não pode ser tentado (Tg 1.13), contudo também diz que os israelitas tentaram ao Senhor em Massa (Dt 6.16). Deus condena a ira (Pv 27.4), contudo Ele é Deus, e devido ao seu zelo e dedicação, Ele se ira. Estes tipos de supostas contradições são solucionadas quando analisamos atentamente as respectivas [“iguais”] palavras de um e de outro texto. Deus se ira no sentido de aplicar sua justiça e não como os demais que demonstram zelo, em dadas situações, mas de forma superficial.

3. Diferentes detalhes em diferentes relatos
Algumas notam contradição entre Atos 1.18 ao compará-lo com Mateus 27.5, entendendo que um texto demonstra que Judas sucumbiu no campo que ele mesmo tinha comprado e que outro afirma que ele morreu enforcado. Porém, os dois textos não se contradizem, antes, dão detalhes diferentes do mesmo acontecimento. Esta ocorrência pode ser simplesmente explicada quando observamos que ao se enforcar em uma árvore, o cadáver despencou de certa altura caindo no campo, terreno que tinha adquirido.
            Da mesma maneira, os diferentes relatos, das aparições de Jesus, após a ressurreição, solucionam-se quando entendemos que os evangelistas Mateus, Marcos, Lucas e João dão diferentes detalhes quanto ao acontecimento, cada um do seu ponto de vista.

4. Diferentes cronologias
Certo professor disse que João contradiz Mateus quando este relata a purificação do templo [por Jesus] no início de seu ministério e João o coloca no final. Porém, alguns entendem que talvez Jesus tenha purificado o templo duas vezes e ainda outros opinam a possibilidade de que João relatou o evento sem se importar com o tempo exato da obra ministerial de Cristo. Neste caso, não há contradição, mas antes simples diferenças cronológicas da ação.

5. Problemas com os números hebraicos
Os eruditos são unânimes em dizer que os números em hebraico são complexos e complicados para se copiar. Alguns pensam que estes números foram escritos em forma de palavras por muitos séculos. Por este motivo, encontramos problemas quando comparamos números na Bíblia, principalmente entre os livros de Reis e Crônicas. Estes erros são possivelmente provenientes dos escribas ao fazerem alguma cópia, e, por outro lado [os números] não têm significado objetivo com respeito aos ensinos básicos das Escrituras.

6. Termos orientais
Em todas as línguas existem expressões que denotam particularidades regionais, nacionais, etc. Da mesma maneira se dá com os escritores do oriente médio. Por isso, antes de declarar quecontradições em certas passagens, é prudente estudar a fundo a linguagem do texto para verificar se são termos regionais, nacionais, etc, cuidando para que não atribuamos à expressão o sentido inadequado.

7. Preconceitos
A maior parte das supostas contradições são provenientes de pessoas predispostas a desacreditarem da Bíblia. Se alguém quer encontrar defeito em alguma coisa, encontrará, ainda que não seja de fato verdade, ainda que o defeito não exista. Por fim, a natureza superficial das acusações contra a Bíblia e a facilidade com que tem sido refutadas simplesmente corroboram o fato de a Bíblia ser o livro mais importante do mundo.

RESPOSTA: Não há contradição
            Há várias explicações para as supostas contradições da Bíblia e conforme explicitado neste breve artigo, temos dado algumas demonstrações simples para a busca de soluções. O importante é saber e reconhecer que cada suposta contradição, ao longo dos séculos, teve e continuará tendo explicações convincentes.
Concluímos, assim, com a precisa declaração de John W. Haley: “Cada dificuldade e suposta discrepância nas Escrituras têm uma solução justa e razoável”. Nãocontradição na Bíblia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário