quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ALGUNS ATRIBUTOS DE DEUS SÃO INERENTES AO SER HUMANO?

Por Gilson Barbosa

Podemos delinear a natureza de Deus dentro de dois pontos: natural e moral; metafísico e físico; imanente e emanente; comunicáveis e incomunicáveis.

Logicamente partimos do principio de que o ser humano não tem capacidade intelectual para compreender a natureza completa de Deus, visto queDeus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.24). O ser humano pode e consegue conhecer somente aquilo que sua mente alcança; atinge. Pois como afirma o salmistaQuando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?”

Porém, Deus implantou no ser humano algo de si, conforme especifica Gênesis 1.26 “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança;”. E o que seria isso?

Dentro do estudo teontológico, há em Deus a natureza que pode e é compartilhada com o ser humano. Vamos chamá-la de atributos comunicáveis. São qualidades tais como: amor, santidade, justiça, mansidão, bondade, etc. É importante, contudo, compreender que estas foram dadas ao ser humano de forma finita, limitada, o que equivale dizer que ninguém, em vida, será plenamente santo, justo, manso, etc.

Na contra mão, alguns querem defender, por exemplo, a violência humana (antônimo da mansidão) com base em dados genéticos corroborando com a atitude agressiva e isentando o ser humano, neste quesito, de estar infectado pelo vírus do pecado. Contudo, Deus não criou o ser humano para ser violento e nem para obter como resultado o acaso de suas ações. Muito pelo contrário, condenou a violência por meio do planodiluvial” (Gn 6.5,11) responsabilizando o homem pelas suas atitudes.

Do lado humano-cristão fica a responsabilidade de buscar cada vez mais as qualidades comunicáveis de Deus, pois, o próprio Jesus inquiriu “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus” (Mt 5.48).

Nenhum comentário:

Postar um comentário